Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010

AD Catingueira realiza Congresso de Senhoras e Mocidade

Nos dias 26, 27 e 28 de novembro de 2010 a Igreja Evangélica Assembleia de Deus na cidade de Catingueira, que tem como líder o Pr. Antonio Firmino Coutinho, realizou um Congresso de Mocidade e Senhoras que teve como tema I Sm 7.12b "Até Aqui nos ajudou o Senhor", foram três dias de festa que reuniram irmãos de diversas cidades do sertão estado com seus respectivos pastores, tais como Piancó, Pr. Vargas Gomes da Silva; Santana dos Garrotes, Pr. Manoel; Santa Terezinha, Pr. Islândio; Olho D'água, Pr. Jacinto José; Itaporanga, Pr. Paulo Roberto; Emas, Pr. David Pio; São Bentinho, Pr. Francisco. A Assembléia de Deus em Piancó esteve neste evento no dia de sábado, confira algumas fotos:



























quinta-feira, 25 de novembro de 2010

AD Uiraúna realiza mega evento


A igreja Evangélica Assembleia de Deus de Uiraúna promoveu nesses dias 19, 20 e 21 do corrente mês, uma vasta programação festiva, alusiva a confraternização de mais um conclave, de jovens e senhoras, desta feita uma festividade unificada demonstrando que o povo de Deus de Uiraúna está unido para adorar.
Confraternizações dos conjuntos de senhoras e mocidades, promovidos pela Assembleia de Deus de Uiraúna não é uma novidade, visto que a cada ano eventos semelhantes tem se realizados, a prova é que, o conjunto de mocidade já comemora o seu décimo primeiro aniversário, ( 11º COMADU ) e o conjunto de senhoras o sétimo aniversário, (7ºUNISEADU) entretanto a surpresa esse ano foi o anúncio da unificação dessas confraternizações.
Esse ano sem duvida, o evento alcançou um publico recorde, visto que muitas caravanas de cidades circunvizinhas até mesmo de estados vizinhos, se fizeram presentes para prestigiar esse mega evento. Entre vários preletores que vieram abrilhantar o evento, podemos citar, por exemplo: O Pr. José Carlos de Lima, presidente da COMADEP, Pr. Davi , de Tabuleiro Grande-RN, ex-padre Lourival Luiz de Sousa, Sousa–PB, Pr. Alexandre Duarte, Sousa-PB, irmão Diego Rafael, de João pessoa–PB. Alem dos supracitados, o que não faltou também foram cantores para entoar louvores: Gerusa Feitosa, Eliabe Feitosa, Edgerlane Sobreira, José Nicélio, Jackson e Patrício Silva, foram apenas uma amostra dos talentos regionais, provando que nem mesmo a ausência do cantor Oficial, Esteves Jacinto poderia tirar o brilho daquele evento.Não podemos deixar de destacar o batismos  em águas que foi ministrado pelo pastor, Alexandre Duarte, de Sousa-PB, na manhã desse dia 21 com cerca de dezoito candidatos.
Sem nenhuma duvida, podemos afirmar que esse evento, foi um marco na historia da cidade de uiraúna e na vida de todos os que se fizeram presentes. Um dia diferente na vida e na historia da cidade de uiraúna e de seu povo, foi assim que definiu o jornalista Paulo Feitosa.
Jornalistas, sites e outros meios de comunicação se voltaram para o referido evento, a rádio capivara FM, os sites da região: Gospel PB, Sertão Noticia e Agitos e Eventos, geraram todo o conteúdo em primeira mão, logo o conteúdo se espalhou por vários outros. Os site, COFEMAC e Uiraúna.net também estiveram divulgando o evento.
Toda comissão organizadora, coordenação, dirigentes e o Pastor Francisco Francelino se disseram bastante satisfeito, com todo o resultado, e agradecem a todos os que se fizeram presentes.

Fonte: Gospel PB

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

História da AD Sousa


Há muitos anos, quando Sousa ainda estava em crescimento, Deus impulsionou alguém a vir a esta Cidade. Sousa interior da Paraíba, lugar onde a seca impera, onde o clima é quente e seco, embora sadio.

Lugar onde havia muita incredulidade e superstições, onde muitos preferiam ficar com a religião dos pais do que aceitar o sacrifício de Cristo na Cruz, mas foi aqui mesmo que corações endurecidos foram fertilizados pela palavra de Deus, a boa semente, e produziu frutos.

Tudo começou quando no dia 29 de abril de 1958, chegou a esta cidade, vindo de outra cidade vizinha o casal: Francisco Pereira Andrade e Nazinha Andrade, e para dar assistência a esses irmãos, o Pastor Artur Barreto da Cidade de Cajazeiras vinha uma vez por mês a Sousa.

E devido às dificuldades, foi designado que o próprio irmão Francisco Andrade dirigisse os cultos até que o Senhor providenciasse um Pastor.
No dia 03 de junho do mesmo ano, a esposa do irmão Francisco pediu autorização para iniciar o Circulo de Oração na sua própria casa, onde todos os trabalhos eram realizados. Começou com 3 (três) pessoas: o casal e uma enteada da irmã Nazinha por nome Luzinete. Era sempre visitado por uma irmã Maria do Céu (amiga do casal). E Jesus sempre falava que iria salvar e batizar com Espírito Santo, e tem se cumprido. Depois passou a ser dirigido pela esposa do Pastor. Teve como dirigentes as irmãs: Nazinha, Toinha, Odete Mesquita, Maria Fernandes Pimenta, Maria Fernandes (Irmã Pedoca), Serevina, Rita Morais, Gilda Araújo, Maria Nogueira, Irmã Carmelita, Lindacy e Julita (atual).

No dia 20 de agosto de 1961, o Pastor Antonio Petrolino dos Santos que era o Pastor Regional, trouxe o Pastor João Camilo de Oliveira e o empossou como o Pastor da Igreja, mesmo sem um templo construído.

Com a chegada do Pastor os trabalhos passaram a ser dirigidos num salão, localizado a Rua: D. Pedro II, onde Deus continuou abençoando.

Logo Deus colocou no coração do Pastor o desejo de construir um templo, onde pudesse melhor abrigar os crentes. Não foi fácil, mas todos com o mesmo desejo começaram a trabalhar com fé e ação, e lançaram a pedra fundamental, onde o irmão Antonio Andrade teve uma participação especial.

Os irmãos que iniciaram a obra foram: Francisco Andrade, Antonio Andrade, Antonio Augusto, Antonio Nogueira, João Vicente, João Paulino, Aluízio, Milton, o Dr. Emanuel Medeiros, o próprio Pastor João Camilo que trabalhou como servente e outros. E como patrocinador maior o irmão Jonas Pereira de Oliveira (novo convertido na época) que era industriário e comerciante nesta Cidade.

A parte de alimentação dos trabalhadores, ficava por conta das esposas dos irmãos. Tudo com dificuldade, mas nada sem amor. Num clima de alegria e agilidade, Deus abençoava cada vez mais.

Depois de tudo pronto, foi marcada a inauguração, esta realizada dia 28 de outubro de 1962 com a presença de Deus e de vários irmãos inclusive do Pastor Regional (Antonio Petronilo dos Santos).
Abaixo vê-se duas fotos da Igreja Assembleia de Deus em Sousa, tiradas recentemente:
 
Na ocasião da inauguração, houve o batismo nas águas de alguns irmãos, que residiam à fazenda Poço-de-Pedra, onde o evangelho já havia alcançado. Lá, o evangelho foi bem divulgado, tanto pelos irmãos de Sousa como pelo irmão Francisco Henrique que vinha a cavalo de um sítio chamado Retiro.

Muitas almas foram alcançadas, só num dia, 10 pessoas aceitaram a Jesus como Salvador, a pregação foi feita pela Jovem Rute Carvalho onde Deus usava tremendamente. A partir deste dia resolveram dirigir os cultos na residência do irmão José Andrade que morava na Fortuna (sitio vizinho a Poço-de-Pedra) o dirigente era o irmão Francisco Henrique, depois foi construído um templo no Sito Poço-de-Pedra. Vejamos alguns Crentes deste Sítio: Antonio Holanda, Antonio Augusto, Luiz Henrique, José Andrade, e a Família Nogueira, que vieram no ano de 1964 morar em Sousa-PB.

Na foto ao lado/abaixo está o Pastor Antonio Petronilo, ministrando o batismo do irmão AntonioNogueira, sua esposa a irmã Raimunda Nogueira, e duas filhas Maria Nogueira e Francisca Nogueira.
Na foto ao lado direito e acima vê-se o Pastor João Camilo.
Neste mesmo dia foi batizada também a irmã Francisca Magalhães que até hoje serve a Deus nesta igreja.
Atualmente a Assembleia de Deus em Sousa continua investindo fortemente em evangelização e anualmente são realizados batismos em águas.
O Batismo em Águas, marca um rito de passagem, onde o novo convertido deixa o estatus de congregado e passa a fazer parte do membro do corpo de Cristo, podendo inclusive participar da Santa Ceia do Senhor.

No salão da Rua: D. Pedro II, um grupo de moças já cantava e possivelmente no dia da inauguração do templo, este grupo recebeu o nome de Conjunto Ebenézer, tendo como fundadora e dirigente por muito tempo a jovem Rute Carvalho de Oliveira (filha do Pastor Camilo), onde se destacava um acordeão tocado por Maria Jose de Andrade, Rode Carvalho e ainda um violão tocado por Carlúcia Andrade. O Conjunto estava sempre à disposição nas evangelizações das congregações.

No decorrer dos anos já tinha um Jipe que conduzia o Conjunto até São José da Lagoa Tapada, Nazarezinho, Uiraúna, Marizópolis, Aparecida, São Gonçalo, Sítio Poço-de-Pedra, Cajá Doce e outros, pois todos pertenciam ao campo de Sousa.

As dirigentes que passaram pela liderança do Conjunto Ebenézer foram: Rute Carvalho de Oliveira, Léa Praxedes (hoje é Maestrina do Coral Beth Shalom, na Cidade de Cabedelo - PB), Maria José Nogueira (hoje dirigente de Circulo de Oração e Esposa de Pastor, reside na Cidade de Vitória-ES), Núbia, Sandra Alves, Gilda Araújo, Eliã Ferreira, Daniel Nogueira, Isaac, Francisca Assis, Ivone (filha do Pastor José Paulino), Gisélia Lima, Ana Nery e Margarida Nogueira (atual). Foto

Vejamos os Pastores que por aqui tem passado:João Camilo de Oliveira
João Fernandes Praxedes (foto 08)
Jonas Pereira de Oliveira (1ª gestão) [foto 6]
Geraldo Cunha Cosmo Marques
José Alves da Rocha [foto 7]
José PaulinoManoel Pedro
Hermenegildo Estrela Dantas (1ª gestão) [foto 4]
Jonas Pereira de Oliveira (2ª gestão) [foto 6]
Antonio Ferreira de Lima (foto 03) [foto 5]
Hermenegildo Estrela Dantas (2ª gestão) [foto 4]
Severino João do Nascimento
Erildo Monteiro [foto 3]
Luiz Gonzaga Chaves
Luiz Gonzaga e Silva [foto 2]
Alexandre Duarte da Costa (PASTOR ATUAL) [foto 1]

1 2 3
4 5 6
7 8

Muitos irmãos desta igreja e das congregações estão no Campo a exemplo de:Jonas Pereira de Oliveira
Antonio José da Cruz
Francisco Braga
Antonio José de Lima
Raimundo Nóbrega
Manoel Nóbrega
Geraldo Simeão
Manoel Estrela
E outros.
Alguns Presbíteros que atuaram e muitos ainda atuam:
Manoel Feliciano
Francisco Henrique
Francisco Andrade
Francisco Assis Caboclo
Odílio Fernandes
Manoel Estrela
Alfredo Alves
Severino Augusto
Severino Lacerda
Luiz Arlindo
Alexandre José de Sousa
José Laurindo
Alberto Miguel
Aristóteles Andrade

Superintendentes da Escola Bíblica Dominical:
Manoel Mesquita
Manoel Fernandes Pimenta
Alfredo Alves
Odílio Fernandes
Manoel Estrela
Edmilsom Henrique

A igreja de Sousa, nos seus primeiros anos possuiu uma Banda de Música com vários instrumentos que sentíamos prazer em ouvi-los. A direção era do irmão Leônidas, Maestro Competente, vindo de Campina Grande, porém houve tempo em que muitos irmãos precisaram deixar suas Cidades, devido à crise financeira e procurar recursos nas Grandes Cidades. Outros que eram funcionários da Rede Ferroviária, foram transferidos e ainda o próprio Maestro teve que voltar a sua Terra, ficando assim, os instrumentos na sua maioria parados, o que causou tristeza para muitos.
Deus, no entanto, providenciou uma Maestrina e formou um lindo Coral que foi inaugurado no dia 28 de outubro de 1969 e a irmã Maria Inês (Dourinha) era maestrina, recebendo o nome de Coral Louvores de Sião, em seguida a irmã Creuza Marques, Francisca Matias, Francisca Nogueira Margarida Nogueira.
Depois de algum tempo, chega à cidade, a irmã Carmelita Alves de Lima, que veio com a finalidade de formar maestros e maestrinas.
Vejamos os nomes alguns dos alunos formados:
Lindaci Oliveira (atual)
Rode Pereira
Núbia Soares
Sandra Alves
Daniel Nogueira
Edgar Gomes
Edivan Gomes
Daniele Alves
Eva Tomé
Com a saída da irmã Carmelita, o coral ficou sob a direção da irmã Lindacy Oliveira que também, com muita dedicação ensinou música a alguns irmãos:
Paulo Morais
Joacir Lopes
Romilda Coelho
Francisco de Assis França e outros. (foto)

Conjunto Filhas de Jerusalém é um conjunto composto por irmãs que dedicam parte do seu tempo para servir a Cristo, louvando e adorando o Rei dos reis.
O Conjunto Filhas de Sião foi fundado em 26 de agosto do ano de 1998, na segunda gestão do Pastor Hermenegildo Estrela Dantas, tendo como fundadora a irmã Ana Lanúzia, depois passou a ser regido pela irmã Ana Nery (hoje morando em João Pessoa-PB), logo após a irmã Edna Pedrosa fica na direção, com o auxilio das irmãs Giselia e Alessandra. (Gisélia e Sandra atual.)
Além dos conjuntos citados Deus levantou um grupo de irmãos que louva a Deus com seus instrumentos e suas bonitas vozes, sendo inaugurado no dia 26 de agosto de 2003, na gestão do Pastor Erildo Honório, recebeu o nome de Os Levitas, hoje sob a liderança de Herlânio Fernandes. Esses trabalham cooperando na sede, congregações e cidades vizinhas.
Temos ainda o Conjunto Infantil: Júbilo do Coração que sempre está abrilhantando os trabalhos,sob a direção da irmã Cristina, Ana Raquel e Vera Lucia Sarmento.
Atualmente a AD-Sousa tem se preocupado muito em valorizar as nossas crianças, por isso o Departamento Infantil tem trabalhado para que nossas crianças cresçam sadias espiritualmente.
Também há o Círculo de Oração das crianças que é realizado semanalmente, todo sábado, no Templo Central. A direção do citado círculo de Oração é da irmã Abilene.
A Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Sousa/PB sob a direção do Pastor Luiz de Gonzaga e Silva, contava com (07) sete presbíteros, 07 sete diáconos, e muitos auxiliares, com aproximadamente oitocentos crentes, entre membros e congregados, com oito (08) congregações, sendo elas: Núcleos I, II e III, Alto do Cruzeiro, Mutirão, Jardim Sorrilândia, Angelim e Lagoa dos Estrelas.
Atualmente a AD-Sousa é pastoreada pelo Pastor Alexandre Duarte da Costa e o mesmo tem implementado algumas medidas de valorização da igreja local (reforma e ampliação). O teto e as luminárias do templo central foram substituidos por um forro e luminárias modernas. A congregação do Bairro do Alto do Cruzeiro está em fase de acabamento.
Ainda na gestão do Pastor Luiz de Gonzaga e Silva foram criadas as Secretarias de Missões e Ação Social, além da informatizar a Secretaria da Igreja. Na área de missões foram escolhidos como Secretários os irmãos Paulo Morais e Marcos Galdino e designados dois missionários para os campos locais: Lagoa dos Estrelas e região (Gerônimo Ferreira), Núcleo I (Aristóteles Andrade), tendo perspectiva de enviar mais irmãos para o campo local, conforme a direção de Deus.
A secretaria de Ação Social tem procurado minorar as dificuldades dos irmãos carentes da igreja e era coordenada pela irmã Selma Alves, atualmente a citada secretaria está sob a responsabilidade da irmã Julita.
O trabalho do Senhor está em ritmo acelerado, pois Deus tem despertado muitos para a evangelização e ação. Estamos concluído o Templo do Núcleo I e outros estão na visão do pastor.
A Igreja de Sousa, também conta com um sub-núcleo do Curso Teológico Básico, pelo Instituto Bíblico da Assembléia de Deus do Estado do Paraná - IBADEP, tendo seu núcleo na cidade de Patos, com dezessete alunos, sob monitoria do evangelista Onias Ferreira de Lima, que provavelmente concluirão o curso no final desse ano.
Graças a Deus que a Igreja de Sousa cresceu e multiplicou o seu rebanho. Não foi fácil, houve muitos obstáculos, mas no nome do Senhor Jesus, todos foram superados. Agradecemos ao nosso Pai celestial, por ter conservado a sua igreja até hoje e pedimos que continue ardendo em nossos corações essa chama acesa que nos desperta para fazer a sua obra.

“Nosso lema principal é: Ganhar almas para Cristo”

Este trabalho foi realizado por: Margarida Nogueira, Pedro Morais.
Sousa, 01 de maio de 2005

domingo, 21 de novembro de 2010

XIII EBO em Patos, Paraíba

Nos dias 18, 19 e 20 de Novembro de 2010 a Assembléia de Deus em Patos-PB sediou a XIII EBO (Escola Bíblica de Obreiros) que trazia o seguinte tema: "Administrando com transparência os interesses do Reino de Deus" onde o Pr. Presidente da COMADEP e Presidente da AD João Pessoa, trouxe estudos com temas como "Integridade no Ministério" e "Diagnosticando os causadores da má administração do Reino de Deus" e ainda outros pastores trouxeram estudos dentro do tema apresentando. Os Cultos contaram com a presença de dezenas de Obreiros.


Pr. José Carlos de Lima
Presidente da COMADEP e da AD João Pessoa

Obreiros
Pr. José Paulo, AD Patos


AD Patos
Vidas se voltam pra Jesus

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Na Paraíba número de evangélicos triplicou em dez anos


Os evangélicos estão galgando espaços cada vez mais amplos, com o passar do tempo. Na Paraíba, assim como em todo o país, o fenômeno é percebido a partir do surgimento de novas denominações e do crescimento no número de fieis que frequentam igrejas tradicionais, que surgiram no país há quase um século. Nos últimos dez anos, a população evangélica no Estado quase triplicou conforme projeção do Ministério de Apoio com Informação (MAI), entidade cujo objetivo é fornecer informações para o crescimento da igreja evangélica.

De acordo com o último Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente ao ano de 2000, a Paraíba contava com 8,8% de evangélicos. Pela progressão prevista pelo MAI, o Estado chegaria a dezembro de 2010 com um universo de 22,4% de fieis ocupando os bancos dos templos das diversas denominações evangélicas, também conhecidas como protestantes. Transformando em números absolutos, a estimativa é que 2010 terminasse com 835.376 paraibanos declarados evangélicos.

Esse percentual supera a projeção do MAI para o Nordeste, em que 20,6% declaram a fé evangélica. A previsão leva em conta uma população de 3.737.100 que estariam morando nos 223 municípios paraibanos até o final deste ano. Para se ter uma noção do tamanho da expansão das congregações no Estado, basta observar as taxas de crescimento anual: entre 1991 e 2000 a taxa de crescimento anual da população foi de 0,80%, enquanto que a taxa de crescimento anual de evangélicos, no mesmo período, foi de 10,70%.

Ainda conforme levantamento feito pelo Ministério, a taxa de crescimento anual dos evangélicos no país foi sete vezes maior do que a taxa de crescimento da população. Entre 1991 e 2000, o aumento na quantidade de evangélicos foi de 4,5 a mais do que a evolução na estatística populacional. Em João Pessoa, pelo menos 622 igrejas estão com as portas abertas. A estatística partiu do banco de dados divulgado no site do MAI e que não reflete números absolutos, pois as informações foram construídas a partir da colaboração dos usuários do serviço.

A ampliação na quantidade de igrejas trazida pelo bom evangélico percorre todas as cidades e atrai não apenas pessoas da classe baixa. É cada vez mais comum a presença de pessoas bem sucedidas financeiramente. A explicação dos líderes da religião protestante é que os dramas da vida, doenças e problemas trazidos pela inserção das drogas no seio familiar são as principais causas do fenômeno que lota as igrejas.
Já quem está de fora acredita que os artifícios usados pelos líderes dessas denominações, como promessas de prosperidade, são os pontos que mais chamam a atenção dos seguidores.

Divergências à parte, o fato é que mais templos estão sendo erguidos e cada vez mais pessoas chegam para pedir ajuda divina nas congregações evangélicas. Igrejas tradicionais como a Assembleia de Deus e a Primeira Igreja Batista sentem esse crescimento. A mídia evangélica forte e discurso marcado pelo louvor e pelas mensagens voltadas para alma humana podem ser a principal razão para esse crescente evolução da igreja.

Há pouco menos de dois anos, Patrícia Maria dos Santos participa das reuniões na 1ª Igrejas Batista. Pelo menos um dia na semana (em geral, no domingo à noite), ela se prepara para assistir ao culto. “Se fico sem ir, sinto muita falta. Lembro que no primeiro dia em que visitei a igreja, senti uma emoção muito grande, foi em um culto da vitória. Decidi aceitar a Jesus e muitas coisas melhoraram na minha vida. Através das minhas orações já consegui muitas bençãos. Sou a única na família que é evangélica e encontro certa resistência do meu marido”, confessa a auxiliar de serviços gerais, que tem 20 anos e é casada há oito.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

100 anos de história das Assembléias de Deus no Brasil

100 ANOS DE HISTÓRIA DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL
A origem da denominação está no fogo do reavivamento que varreu o mundo no século 20


"Pouco tempo depois, Gunnar Vingren participou de uma convenção de igrejas batistas, em Chicago. Essas igrejas aceitaram o Movimento Pentecostal. Ali ele conheceu outro jovem sueco que se chamava Daniel Berg. Esse jovem também fora batizado com o Espírito Santo.

Após uma ampla troca de informações, experiências e idéias, Daniel Berg e Gunnar Vingren descobriram que Deus os estava guiando numa mesma direção, isto é: o Senhor desejava enviá-los com a mensagem do Evangelho a terras distantes, mas nenhum dos dois sabia exatamente para onde seriam enviados.

Algum tempo depois, Daniel Berg foi visitar o pastor Vingren em South Bend. Durante aquela visita, quando participavam de uma reunião de oração, o Senhor lhes falou, através de uma mensagem profética, que eles deveriam partir para pregar o evangelho e as bênçãos do avivamento pentecostal. O lugar tinha sido mencionado na profecia: Pará. Nenhum dos presentes conhecia aquela localidade. Após a oração, os dois jovens foram a uma biblioteca à procura de um mapa que lhes indicasse onde o Pará estava localizado. Foi quando descobriram que se tratava de um estado do Norte do Brasil".


História das Assembléias de Deus no Brasil, Emílio Conde - CPAD 

No início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestante e do valoroso trabalho de missionários de igrejas evangélicas tradicionais, nosso país era ainda quase que totalmente católico.

A origem das Assembléias de Deus no Brasil está no fogo do reavivamento que varreu o mundo por volta de 1900, início do século 20, especialmente na América do Norte.

Os participantes desse reavivamento foram cheios do Espírito Santo da mesma forma que os discípulos e os seguidores de Jesus durante a Festa Judaica do Pentecostes, no início da Igreja Primitiva (Atos cap. 2). Assim, eles foram chamados de "pentecostais".

Exatamente como os crentes que estavam no Cenáculo, os precursores do reavivamento do século 20 falaram em outras línguas que não as suas originais quando receberam o batismo no Espírito Santo. Outras manifestações sobrenaturais tais como profecia, interpretação de línguas, conversões e curas também aconteceram (Atos cap. 2).

Em 19 de novoembro de 1910, os jovens suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg aportaram em Belém, capital do estado do Pará, vindos dos EUA. A princípio, freqüentaram a Igreja Batista, denominação a que ambos pertenciam nos Estados Unidos. Eles traziam a doutrina do batismo no Espírito Santo, com a glossolalia - o falar em línguas estranhas - como a evidência inicial. A manifestação do fenômeno já vinha ocorrendo em várias reuniões de oração nos EUA (e também de forma isolada em outros países), principalmente naquelas que eram conduzidas por Charles Fox Parham, mas teve seu apogeu inicial através de um de seus principais discípulos, um pastor negro leigo, chamado William Joseph Seymour, na Rua Azusa, Los Angeles, em 1906.

Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren, chegaram ao Brasil, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador da Humanidade e a atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais. As denominações evangélicas existentes na época ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostravam abertos ao ensino pentecostal. Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911 foi a primeira crente da igreja Batista de Belém a receber o batismo no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos. A nova doutrina trouxe muita divergência naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros curiosos visitava a residência de Berg e Vingren, onde realizavam reuniões de oração. Enquanto um grupo aderiu, outro rejeitou. Assim, em duas assembléias distintas, conforme relatam as atas das sessões, os dezenove adeptos do pentecostalismo foram desligados. Convictos e resolvidos a se organizar, em 18 de junho de 1911, juntamente com os missionários estrangeiros, fundaram uma nova igreja e adotaram o nome de Missão da Fé Apostólica. Este foi o primeiro nome dado ao Movimento Pentecostal nos Estados Unidos a partir de 1901 e era também empregado pelo movimento de Los Angeles, mas sem qualquer vínculo administrativo da nova igreja brasileira com William Joseph Seymour. A partir de então, passaram a reunir-se na casa de Celina de Albuquerque. Mais tarde, em 18 de janeiro de 1918 a nova igreja, por sugestão de Gunnar Vingren, foi registrada como Assembléia de Deus, em virtude da fundação das Assembléias de Deus nos Estados Unidos, em 1914, em Hot Springs, Arkansas, mas, outra vez, sem qualquer ligação institucional entre ambas as igrejas.

Em poucas décadas, a Assembléia de Deus, a partir de Belém do Pará, onde nasceu, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar os grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. As Assembléia de Deus se expandiram pelo Estado do Pará, alcançaram o Amazonas, propagaram-se para o Nordeste, principalmente entre as camadas mais pobres da população. Chegaram ao Sudeste pelos idos de 1922, através de famílias de retirantes do Pará, que se portavam como instrumentos voluntários para estabelecer a nova denominação aonde quer que chegassem. Nesse ano, a igreja teve início no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, PA, em 1924, para a então capital da República. Um fato que marcou a igreja naquele período foi a conversão de Paulo Leivas Macalão, filho de um general, através de um folheto evangelístico. Foi ele o precursor do assim conhecido Ministério de Madureira, como veremos adiante.

A influência sueca teve forte peso no início da formação assembleiana brasileira, em razão da nacionalidade de seus fundadores, e graças à igreja pentecostal escandinava, principalmente a Igreja Filadélfia de Estocolmo, que, além de ter assumido nos anos seguintes o sustento de Gunnar Vingren e Daniel Berg, enviou outros missionários para dar suporte aos novos membros em seu papel de fazer crescer a nova Igreja. Desde 1930, quando se realizou a primeira Convenção Geral dos pastores na cidade de Natal, RN, as Assembléias de Deus no Brasil passaram a ter autonomia interna, sendo administrada exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem contudo perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia. A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembléias de Deus dos EUA através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação.

Em virtude de seu fenomenal crescimento, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, o clero católico despertou para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante. Tal possibilidade se tornou ainda mais real com a divulgação entre o final de 2006 e início de 2007 por um instituto de pesquisa de que, com vinte milhões de fiéis, o Brasil é o maior país pentecostal do mundo.

O que são as Assembléias de Deus


As Assembléias de Deus são uma comunidade protestante, segundo os princípios da Reformada Protestante pregada por Martinho Lutero, no século 16, contra a Igreja Católica. Cremos que qualquer pessoa pode se dirigir diretamente a Deus baseada na morte de Jesus na cruz. Este é um relacionamento pessoal e significativo com Jesus. Embora sejamos menos formais em nossa adoração a Deus do que muitas denominações protestantes, a Assembléia de Deus se identifica com eles na fundamentação bíblica-doutrinária, com exceção da doutrina pentecostal (Hebreus 4.14-16; 6.20; Efésios 2.18).

As Assembléias de Deus são uma igreja evangélica pentecostal que prima pela ortodoxia doutrinária. Tendo a Bíblia como a sua única regra de fé e prática, acha-se comprometida com a evangelização do Brasil e do mundo, conformando-se plenamente com as reivindicações da Grande Comissão.

A doutrina que distingue as Assembléias de Deus de outras igrejas diz respeito ao batismo no Espírito Santo. As Assembléias de Deus crêem que o batismo no Espírito Santo concede aos crentes vários benefícios como estão registrados no Novo Testamento. Estes incluem poder para testemunhar e servir aos outros; uma dedicação à obra de Deus; um amor mais intenso por Cristo, sua Palavra, e pelos perdidos; e o recebimento de dons espirituais (Atos 1.4,8; 8.15-17).

As Assembléias de Deus crêem que quando o Espírito Santo é derramado, ele enche o crente e fala em línguas estranhas como aconteceu com os 120 crentes no Cenáculo, no Dia de Pentecoste. Embora esta convicção pentecostal seja distintiva, as Assembléias de Deus não a têm como mais importante do que as outras doutrinas (Atos 2.4).

O seu Credo de Fé realça a salvação pela fé no sacrifício vicário de Cristo, a atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais e a bendita esperança na segunda vinda do Senhor Jesus. Consciente de sua missão, as Assembléias de Deus não prevalecem do fato de ter, segundo dados do IBGE (Censo 2000), mais de oito milhões de membros. Apesar de sua força e penetração social, optou por agir profética e sacerdotalmente. Se por um lado, protesta contra as iniqüidades sociais, por outro, não pode descuidar de suas responsabilidades intercessórias.

Sua estrutura Administrativa 

As Assembléias de Deus estão organizadas em forma de árvore, onde cada Ministério é constituído pela Igreja-Sede com suas respectivas igrejas filiadas, congregações e pontos de pregação.

As igrejas Assembléias de Deus atuam em cada lugar sem estarem ligadas administrativamente à uma instituição nacional. A ligação nacional entre as igrejas é feita através dos seus pastores que são filiados a convenções estaduais que, por sua vez, se vinculam a uma Convenção de caráter nacional.

Em cada estado os pastores estão ligados a convenções regionais e a ministérios. Essas convenções, em geral, credenciam evangelistas e pastores, cuidam de assuntos da liderança e de direção das igrejas. Essas convenções operam um tipo de liderança regional entre a igreja local e a Convenção Geral.

A Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) é dirigida por uma Mesa Diretora, eleita a cada dois anos numa Assembléia Geral. Para várias áreas de atividades das Assembléias de Deus a CGADB tem um conselho ou uma comissão. Desta forma, existem o Conselho Administrativo da Casa Publicadora (CPAD), o Conselho de Educação e Cultura Religiosa, o Conselho de Doutrinas, o Conselho Fiscal, o Conselho de Missões, a Secretaria Nacional de Missões (SENAMI), a Escola de Missões das Assembléias de Deus (EMAD) e a Faculdade Evangélica de Tecnologia, Ciências e Biotecnologia da CGADB (FAECAD).

A CGADB possui sede no Rio de Janeiro e pode ser considerada o tronco da denominação por ser a entidade que desde o princípio deu corpo organizacional à Igreja, e a quem pertence a patente do nome no país.

As Assembléias de Deus brasileira tem passado por várias cisões que deram origem a diversas convenções e ministérios, com administração autônoma, em várias regiões do país. O mais expressivo dos ministérios é o Ministério de Madureira, cuja igreja já existia desde os idos da década de 1930, fundada pelo pastor Paulo Leivas Macalão e que, em 1958, serviu de base para a estruturação nacional do Ministério por ele presidido, até a sua morte, no final de 1982. Ela deu origem à seguinte entidade:


Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil - Ministério de Madureira
À medida que os anos se passavam, os pastores do Ministério de Madureira (assim conhecido por ter sua sede no bairro de mesmo nome, no Rio de Janeiro), sob a liderança do pastor (hoje bispo) Manoel Ferreira, se distanciavam das normas eclesiásticas da CGADB, segundo a liderança da época, que, por isso mesmo, realizou uma Assembléia Geral Extraordinária em Salvador, BA, em setembro de 1989, onde esses pastores foram suspensos até que aceitassem as decisões aprovadas. Por não concordarem com as exigências que lhes eram feitas, se organizaram numa nova entidade, hoje com cerca de 2 milhões de membros, no Brasil e exterior. Dessa forma surgiu a Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil - Ministério de Madureira - CONAMAD, fundada em 1988.

Outros ramos
Há, ainda, vários ministérios e um grande número de igrejas independentes que usam a nomenclatura Assembléia de Deus, em diversas regiões do país, que atuam sem vinculação com a CGADB ou com a CONAMAD.

O Compromisso com a Proclamação da Palavra de Deus

Sendo uma comunidade de fé, serviço e adoração, as Assembléias de Deus não podem furtar-se às suas obrigações - proclamar o evangelho de Cristo e promover espiritual, moral e socialmente o povo de Deus. Somente assim, estaremos nos firmando, definitivamente, como agência do Reino de Deus.

As Assembléias de Deus não são a única igreja. Deus está usando muitos outros para alcançar o mundo para Ele. Nos cenários brasileiro e mundial somos uma das muitas denominações comprometidas em conduzir crianças, adolescentes, jovens e adultos a Cristo.

Nossa oração nas Assembléias de Deus é que sejamos usados por Deus para ajudar os perdidos e propiciar um ambiente onde o Espírito Santo possa realizar sua obra especial na vida dos que crêem.


Para mais informações, visite o site da CGADB

CPAD FM - 96,1

ATENÇÃO

A reprodução deste conteúdo somente é permitida desde que seja dado o crédito ao Blog "AD Piancó", informando o endereço www.adpianco.blogspot.com

O Blog "AD Piancó" retém os direitos autorais de textos e fotos de sua autoria nele publicados conforme a Lei 9.610/1998.